Vendas

Quero investir em um imóvel na planta. E agora?

Realizar o sonho da casa própria está cada vez mais presente na vida dos brasileiros, e com a flexibilização das políticas de crédito, financiamentos e condições de pagamento que as construtoras oferecem, muitas pessoas podem comprar o seu imóvel na planta e usufruir do novo investimento.

Porém, para investir em um imóvel na planta, é importante verificar algumas questões para que o seu sonho não se torne um problema à margem de questões que podem ser identificadas antes da compra. Pontuamos algumas dicas:

1. Conheça a construtora
Antes de adquirir um imóvel na planta, primeiro você precisa conhecer a construtora ou incorporadora que está realizando este empreendimento. Visitar outros imóveis entregues pela construtora pode ajudar a verificar as informações e entender o padrão de qualidade de suas obras.

2. Valores de parcelas e condições de financiamento
Conheça todos os valores que serão pagos, e verifique se as parcelas cabem no seu bolso do início ao fim, e, se for, preciso peça uma simulação de parcelas até o final do financiamento. Esteja atento a todos os detalhes de seu financiamento, prazos, taxa de juros, etc. É importante que você verifique, antes de assinar o contrato com a construtora, que seu crédito está 100% aprovado pelo banco.

4. Tamanho e localização do imóvel
Faça uma boa reflexão, levando em consideração de que o imóvel será entregue daqui há algum tempo, se o tamanho e a localização do seu novo lar atenderão às suas necessidades futuras.

5. Detalhes do imóvel
Esteja atento a todos os detalhes do imóvel, incluindo os seus diferenciais, para que na entrega do imóvel você tenha a certeza de que realmente está recebendo aquilo que comprou, se for possível, guarde folders e publicidades do empreendimento.

6. Saiba como o imóvel foi construído

Mais do que conhecer a planta baixa do empreendimento, é interessante ficar por dentro do levantamento de todas as medidas existentes na edificação, dos desenho técnicos de todos os trajetos de instalações elétricas, hidráulicas, estrutural, climatização. etc. Documentar a construção do empreendimento é essencial para dar segurança ao proprietário sobre a qualidade do imóvel adquirido e ajudá-lo sempre que houver alguma dúvida sobre um sistema construtivo.

7. Custo de compra
Em média, os imóveis na planta custam 20% a menos do que os imóveis já prontos, além de uma economia de aproximadamente 70% no registro do imóvel. E, apesar de as condições de financiamento serem mais exigentes nesta modalidade, depois de prontos, os imóveis tem uma valorização que pode chegar a quase 100%.

8. Seguro de obra
Os financiamentos de imóveis na planta, exigem das construtoras a aquisição de um seguro que garante a entrega da obra dentro do prazo.

9. Planeje
Aproveite o tempo de construção do imóvel para planejar e sonhar com o seu novo lar. Esse é o momento de escolher os móveis, decoração, e todos os detalhes que irão compor o seu espaço.

Sticky

WhatsApp: um poderoso aliado do corretor de imóveis

A plataforma com mais de 120 milhões de usuários no Brasil tornou-se uma das principais ferramentas de comunicação. O mercado imobiliário também aproveitou a facilidade dessa ferramenta.

A forma como nos comunicamos é constantemente alterada pelas mídias digitais. Essa mudança também influencia nos negócios. O corretor de imóveis, imerso nesse contexto, utiliza os meios onde o seu cliente está. Mais do que estar presente nas mídias digitais, o profissional precisa entender a ferramenta e saber utilizá-la de forma que facilite os seus negócios e os interesses do cliente.

Já falamos em outro momento sobre os aplicativos que todo o corretor deve ter em seu smartphone, caso queira acessar.

É importante lembrar que ninguém quer ficar recebendo promoções o tempo todo. A ferramenta existe para aproximar as pessoas, manter diálogo. O segredo para conseguir alavancar suas vendas está em estabelecer uma relação de confiança com o seu cliente – investir em um relacionamento que garanta resultados positivos para ambos os lados.

A partir dessa ideia, compartilhamos algumas dicas com você:

  • Peça permissão

Não force algo que ainda não existe. Antes de mais nada, construa um relacionamento com o cliente. Se possível, comece esse relacionamento cara a cara – conheça o seu perfil, o que ele deseja e, só então, peça permissão para continuar esse diálogo pela plataforma. Há pessoas que preferem usar o WhatsApp para assuntos estritamente pessoais ou, simplesmente, preferem manter assuntos de negócios “offline”. Respeite! Sempre pergunte antes se esse meio facilitaria para o seu cliente. Se a resposta for positiva, assegure-se de que ele adicionou o seu número corretamente na lista de contatos (explicarei o por quê no item 4).

  • Tenha bom senso

Não inicie uma conversa com o seu cliente em horários impróprios. Muito cedo pela manhã ou em horário de almoço, por exemplo. Algumas pessoas se sentem ofendidas com a falta de consideração e isso pode repercutir negativamente para o seu negócio. Os horários mais recomendados são entre as 10h da manhã e, no meio da tarde, entre às 14h e às 15h em dias úteis. Evite tornar a conversa pessoal demais, ser maçante ao enviar muito conteúdo ou iniciar várias conversas ao longo da semana – lembre-se que o interesse do cliente é o seu interesse. Não o afaste forçando conversas sem propósitos.

  • Tenha apenas um número de WhatsApp

O ideal é você manter um número apenas para os seus clientes e para assuntos de trabalho. Fica mais fácil gerenciar o contato com os clientes e divulgar seu número para os interessados.

  • Crie uma Lista de Transmissão

Existe um recurso no WhatsApp chamado Lista de Transmissão. Com essa ferramenta você pode enviar mensagens, vídeos e imagens para até 256 pessoas ao mesmo tempo. Mas atenção: não abuse desse recurso. Caso contrário você pode se tornar um incômodo para o seu cliente, e não queremos isso. Para ser relevante e oferecer conteúdo que interesse seu cliente, crie categorias e filtre o conteúdo a ser divulgado. Por exemplo: clientes que buscam por apartamento grande com lazer em condomínio, clientes que buscam por sala comercial, etc.

  • Customize o seu conteúdo

Customize e adeque o seu conteúdo. Não use a mesma linguagem, o mesmo texto e a mesma imagem que foi divulgada no Facebook da empresa. Cada mídia tem um propósito diferente, um conceito diferente e uma linguagem diferente. Procure se adequar a mídia e mantenha um diálogo humanizado, sempre buscando ser o mais profissional possível.

Esteja ciente de que a utilização inadequada do WhatsApp pode surtir resultados contrários aos esperados. É uma ferramenta que exige equilíbrio e responsabilidade em seu uso, ainda mais quando em caráter comercial.

Em 2017 mais de 90% dos brasileiros utilizam o aplicativo diariamente, ou seja, facilmente se chega a qualquer tipo de usuário. O importante é sempre lembrar de utilizar as estratégias para oportunizar relacionamentos que beneficiem ambos os interessados.

Até a próxima!

 

Sticky

Sou corretor iniciante, como prospectar e manter clientes?

Como ser uma autoridade no meu negócio? Aqui estão 5 dicas de como se destacar como corretor de imóveis mesmo não tendo anos de experiência.

O setor imobiliário vive de fases, mas ele é grande e cada vez é mais fácil estar a par desse mercado. Na hora de adquirir um novo empreendimento, o comprador é exigente pois tem a sua disposição inúmeras opções e, a escolha do corretor não foge a essa regra: experiência e recomendação são pontos levados em conta. Então, como competir nesse mercado sendo um corretor iniciante?

  • Entenda do Assunto

Entender e conhecer bem o seu negócio é imprescindível em qualquer área do mercado. Um profissional bem preparado, que participa de cursos e atualizações dificilmente passará por algum caso constrangedor com o cliente. É fundamental entender todas as arestas da função, estar a par do mercado e economia.

O bom corretor consegue prever tendências, sabe indicar e visualizar o melhor negócio para o seu cliente. Aposte também em outras áreas de estudo para complementar o seu trabalho como, por exemplo: marketing, psicologia e economia.

  • Marketing Pessoal

Antes de vender o produto, você precisa saber se vender. Você pode ter o imóvel certo para o cliente, mas as vezes o tom da abordagem coloca todo o negócio a perder. Sempre tenha em mente o tipo de vendedor pelo qual você gostaria de ser atendido se estivesse comprando um imóvel. Seja eficiente mas não apele.

Dedique um tempo para escolher uma boa roupa para apresentação, tenha um cartão de visita com telefone comercial e e-mail atualizado. Os pequenos detalhes não fogem aos olhos do comprador.

  • Seja Profissional e organizado

Mantenha todo o material que precisa mostrar para o cliente em mãos e de forma organizada. Aparentar estar perdido não passa confiança ao comprador e, você pode deixar passar algumas oportunidades por não estar preparado.

Seja acessível ao cliente e deixe ele ciente que você tem interesse nos mesmos interesses que ele. Não o deixe pensar que foi esquecido mas não o pressione para tomar uma decisão. O tempo do cliente deve ser o seu tempo.

Se precisar fazer ligações ou mandar mensagens pelo WhatsApp esteja certo de que o cliente não se importa. Seja direto, não fale mais que o necessário. O contato deve ser humanizado mas não pode fugir da linha comercial.

  • Use o Meio Digital a Seu Favor

A internet dá meios para que você esteja mais preparado para atender o comprador atual. A informação é mais rápida e consequentemente você está mais atualizado das ferramentas e aplicativos para o seu negócio. Agendas, planejadores, fita métrica digital, simuladores diversos, etc, enfim, muitas opções para somar ao seu trabalho.

  • Relacionamento Pós-Venda/ Follow-Up

Tão importante quanto vender um empreendimento é manter um relacionamento pós-venda com o cliente. Mostre interesse em saber se ele ficou satisfeito em todos os processos de compra e se houver alguma resposta negativa, converse para saber onde poderia melhorar.

Experiência por si não mantém e nem prospecta clientes. O trabalho de qualidade, humano e eficiente sim. Dedicação é importante, o sucesso é resultado de vários fatores e sempre há onde melhorar. Boas vendas!

Sticky

O corretor de imóveis preferido do mercado

Com tantos profissionais no mercado se torna mais fácil para o cliente escolher um serviço de qualidade com quem possui conhecimento no ramo e que seja confiável

Entre os corretores existe um ditado:  “corretor não vive de comissão, vive de reputação”. Não é? Essa frase traduz uma realidade comum do ramo. Os clientes procuram por profissionais em que podem confiar. Muitas vezes eles buscam referências para comprovar a reputação. Em um cenário cada vez mais competitivo e, que vive em crise, sai na frente o profissional mais preparado e mais resiliente.  

O que pesa para o cliente na hora de escolher um corretor?

1. Autoridade

Corretores de imóveis com mais tempo de mercado possuem duas grandes vantagens no currículo: Possui networking amplo, já fechou muitos negócios e muitas pessoas podem recomendar o seu trabalho. Boas referências vendem por si só.  A segunda vantagem é a expertise. Corretores que conhecem o mercado estão mais preparados para oferecer algo que sane as necessidades do cliente.

Lembre:se: Tempo não é tudo. Estude e sempre esteja atualizado. Experiência conta bastante, mas o que conta é a autoridade que você nem no setor. Se você é novo no ramo, seja o melhor aluno e corra atrás de conhecimento. Estude o seu cliente e o mercado em que está inserido.

2. Credibilidade

Esse ponto se aplica facilmente em qualquer ramo de mercado nos processos de compra e venda. Você não fica com um pé atrás quando um vendedor supervaloriza o seu produto? Não é estranho um produto ser completamente perfeito? A maioria das pessoas também pensa assim, desconfiando logo de cara. Não seja o tipo de corretor que tenta empurrar a todo custo um imóvel para o cliente. E lembre-se (caso tenha esquecido): respostas evasivas e impacientes não irão te ajudar no processo de venda. Depreciar demais o imóvel também não é algo positivo. Primeiro, você não deveria vender algo em que não acredita e, segundo, se a tentativa é tentar se tornar “amigo” do cliente, está fazendo errado. O caminho está no meio termo, na sincera ponderação dos pontos positivos e nos eventuais pontos negativos. Lembre-se de como você gostaria de ser auxiliado e baseie-se por aí.

3. Se importar com o cliente

A aquisição de um imóvel é o maior sonho da vida de muitas pessoas. Logo, muito dinheiro e tempo são dedicados nesse processo. É esperado que o cliente tenha dúvidas e que ele vá fazê-las. Demonstre interesse e responda sempre com paciência. Procure realmente entender a preocupação do cliente e suas necessidades. Fazer um bom negócio é entender o problema e fornecer a solução que melhor se encaixa na condição do seu cliente.

4. Ter o melhor produto para o seu cliente

Bons corretores de imóveis sempre prezam pela qualidade do produto que oferecem. Isso demonstra que ele está realmente interessado na satisfação do cliente e não apenas na venda. Qualidade é um ativo que nunca desvaloriza. Quando o imóvel é de qualidade, a confiança vem naturalmente.

Em Santa Maria, muitos corretores de renome estão unidos a Icosaedro Construtora. Nossos empreendimentos visam a qualidade de vida do cliente, sempre buscando por inovação e harmonia com o meio ambiente. O bom corretor conhece e indica.

 

Você é corretor? Já conversou com a gente? Entre em contato e receba as informações que compartilhamos com o grupo de corretores mais seleto de Santa Maria e região.

 

Sticky
Desenvolvido por IguanaWeb