Sustentabilidade

Lições que podemos aprender com outros países na Construção Civil

O que podemos aprender com outros países para tornar a construção civil mais eficiente em nosso país?

A construção civil de alguns países surpreendem npela presença da tecnologia ou dos projetos inovadores e voltados para o futuro.

Mas qual o segredo para tudo isso? Por que não conseguimos fazer o mesmo aqui no Brasil ou em outras partes do mundo? Confira a seguir três lições fundamentais sobre obras e projetos que podemos aprender com a construção civil destes países.

1. Tecnologia não é gasto, é investimento

Mesmo em um cenário de crise mundial na construção civil – com queda de produtividade e lucros em empresas de todo o mundo – países como China e Japão não deixam de investir naquilo que consideram primordial em qualquer área: tecnologia e inovação.

O mercado dos dois países tem investido massivamente em materiais e métodos mais eficientes para os canteiros de obras, como a impressão 3D, a automação de tarefas e até o uso de Inteligência Artificial em equipamentos. Como resultado, os últimos levantamentos mostram que a produtividade da construção civil chinesa aumenta cerca de 7% ao ano, os projetos são entregues em tempo recorde e os recursos do setor podem ser direcionados a mais melhorias e projetos cada vez mais rentáveis.

 

 

2. Construção modular pode ser a solução

Mais rápida, personalizável e econômica: a construção modular está começando a ganhar espaço permanente no mercado brasileiro, mas, lá fora, ela já é a alternativa mais requisitada há tempos.

Com uma população de quase 1,4 bilhões de pessoas (2016), a China viu na construção modular uma solução prática e com custos reduzidos para combater o déficit habitacional do país. Como nos blocos de lego, os edifícios modulares podem ganhar ou perder andares de acordo com a demanda, sem a necessidade de buscar novos terrenos para construir novas moradias a partir de técnicas tradicionais (como a alvenaria), que demoram muito mais e consomem mais insumos, recursos econômicos e mão de obra.

 

3. Planejamento é fundamental

Ao final das Olimpíadas do Rio, em 2016, o Japão já havia dado início às obras necessárias para sediar o evento, que envolvem a renovação de antigos e novos centros esportivos e a construção do novo estádio olímpico e da vila olímpica. Se China e Japão têm um segredo para tanta inovação e atratividade para negócios internacionais envolvendo a construção civil, ele definitivamente está no planejamento.

Muitas vezes as obras acabam durando muito mais tempo devido aos estouros no orçamento e constantes imprevistos e erros – ou seja, falta de planejamento.

 

3. Sustentabilidade é presente

Construir obras sustentáveis é uma tendência em evidência ao redor do mundo. Apesar de muitas vezes serem um investimento alto, esse tipo de construção permite a recuperação do investimento ao longo dos anos, além de ser socialmente responsável, ajudando a preservar o meio ambiente.

Na França, foi aprovada uma lei obrigando os edifícios comerciais a instalarem painéis solares ou telhados verdes. O objetivo da proposta é diminuir a dependência de energia gerada pelas usinas nucleares, responsáveis por abastecer 75% da demanda energética do país, segundo informações providas pela World Nuclear Association.

A preocupação com o meio ambiente e a opção por obras sustentáveis é cada vez maior. No Brasil, as novas construções vêm apresentando uma tendência crescente de investimentos em tecnologias sustentáveis, como reaproveitamento de água, reaproveitamento do óleo de cozinha, tetos solares e telhados verdes.

Sticky

Sustentabilidade em empreendimentos imobiliários

A construção civil vive uma nova era – desenvolvendo condições favoráveis para a criação e a consolidação de uma visão mais consciente e atenta para as questões ligadas ao meio ambiente e ao impacto de seus empreendimentos nele.

Sustentabilidade continua sendo uma tendência de mercado – tanto por necessidade quando por valor. O consumidor hoje está muito mais preocupado com as condições que seu produto foi produzido ou o seu serviço foi entregue. Esse conceito tem invadido as mais diversas áreas do conhecimento e setores da economia.

Na construção civil, a partir da utilização de novos materiais que gerem o menor impacto possível ao meio ambiente e contribuam para o conforto térmico ou a redução do consumo de energia, não é diferente, e há inúmeros exemplos de novos materiais e tecnologias com essa finalidade.

Edifícios sustentáveis são, portanto, empreendimentos bem planejados, projetados e construídos. São, de fato, melhores que a grande maioria. Contudo, para garantir a sustentabilidade ao longo do ciclo de vida de uma construção, é fundamental que sejam igualmente operados e mantidos adequadamente. Construir de maneira sustentável constituiu um importante primeiro passo.

Empreendimentos que, de fato, são sustentáveis necessitam de certificação que comprovam a prática. Geralmente eles possuem:

• Os benefícios de economia em energia e água chegam a 30%;

• Há redução de custos operacionais e de manutenção;

• Rápido retorno do investimento em tecnologias;

• Os projetos sustentáveis privilegiam o aumento do conforto, do bem estar e da satisfação dos ocupantes;

• No caso de escritórios a produtividade aumenta em até 16%;

A Icosaedro também promove o desenvolvimento sustentável. Acreditamos que o presente pode ser vivido satisfatoriamente, ao mesmo passo em que não prejudique a capacidade do planeta de atender às necessidades das gerações futuras.

Desta forma, a promoção de melhores práticas para novos empreendimentos e bem-estar das pessoas é onde a nossa crença está firmada.

Convidamos você, caro leito, a conhecer melhor nossos empreendimentos. Você pode conferir em nosso site, as obras que já entregamos e as que ainda estão em andamento: empreendimentos Icosaedro

 

Sticky

ICOSAEDRO É EXEMPLO DE SUSTENTABILIDADE

ICOSAEDRO FOI DESTAQUE NA REPORTEGEM DO DIÁRIO DE SANTA MARIA

O Diário de Santa Maria do fim de semana (08 e 09 de setembro) teve como tema de sua reportagem de destaque a sustentabilidade.

Anencir Filho, sócio-diretor da Icosaedro Construções foi entrevistado para a matéria do jornal, e aparece na foto ao lado explicando o funcionamento do sistema de recolhimento de óleo de cozinha, pioneiro em nossa cidade.

A moradora do Res. Chaitén, Carlise Dieminger, também aparece na foto depositando o óleo que, ao ser recolhido, se torna fonte de renda para o condomínio e alivia as despesas dos moradores.

Para acessar a reportagem que traz a Icosaedro mais uma vez como destaque de sustentabilidade em Santa Maria, no site do Jornal Diário de Santa Maria, , cole o link abaixo no seu navegador.

Fonte: ClicRBS

Sticky

Recolhimento de óleo de cozinha

A Icosaedro é a primeira construtora em Santa Maria a implantar o sistema de recolhimento de óleo de cozinha em um de seus empreendimentos.

O sistema já faz parte da rotina dos moradores do Residencial Chaitén e tem como objetivo evitar o descarte inadequado do óleo utilizado pelos moradores no preparo de alimentos. O funcionamento é simples, sendo necessário apenas o despejo do óleo no duto específico localizado no térreo do edifício. O óleo desce até uma bombona localizada na garagem do prédio e este, quando cheio é recolhido por empresas especializadas no trato deste resíduo revertendo, inclusive, em fonte de renda para o condomínio, sendo um atenuante nas despesas dos moradores.

Sticky

Sustentabilidade na construção civil Reaproveitamento da água da chuva

Apenas 3% da água do planeta são próprios para o consumo.
A crise da água já afeta mais de 2 bilhões de pessoas em todo o mundo.

15 segundos é o intervalo em que uma criança morre no mundo, vítima de doença transmitida por água sem tratamento.

Nos últimos 40 anos, a população da Terra dobrou, chegando aos 6,1 bilhões de

habitantes; até 2050, deveremos ser 9 bilhões de pessoas.

No Brasil, 70% das bacias hidrográficas das regiões Sul e Sudeste estão contaminadas, onde rios brasileiros recebem em média um volume de esgoto quatro vezes maior do que sua capacidade de absorção.

Quanto ao desperdício doméstico, o brasileiro gasta cerca de 200 litros de água por dia,

um abuso se considerar os 40 litros recomendados pela ONU como consumo

necessário básico por pessoa.

45% de água potável são desperdiçados no Brasil. 
OS QUATRO MAIORES POLUIDORES DAS ÁGUAS

1º – As prefeituras municipais – emissão de esgoto sanitário sem tratamento.

2º – A agro-indústria – o indiscriminado uso de agrotóxicos nesta atividade faz com que a água e o solo sejam contaminados por produtos químicos.

3º – As mineradoras – as águas são poluídas com metais e substâncias químicas altamente tóxicas, como o caso do mercúrio.

4º – A indústria – com a emissão de seus efluentes.

Como visto, pensava-se que a indústria era a grande vilã da poluição das águas, no

entanto, este título vai para a grande maioria de nossas prefeituras municipais.

Onde quero chegar?

Sustentabilidade na construção civil

Sustentabilidade é produzir com menos consumo de água, energia, desperdício e geração de resíduos e poluição.

Uma das maneiras seria reaproveitando a água da chuva reutilizando-a em

descargas, limpeza de calçadas e regando jardins.

O processo é simples: parte da água da chuva que cai no telhado é capitada em uma caixa da água, e com um motor bomba retorna para o telhado em uma outra caixa. Desta a água segue para as caixas acopladas (onde armazenam 6 litros cada caixa), que fornecem a água (chamada de água cinza) para os sanitários e também para limpeza de calçadas e regar as plantas. Redução de aproximadamente 10 a 20% na economia de água da Corsan. Claro que todo esse sistema depende da chuva e quando não chove, através de um registro o sistema é substituído pela água da Corsan.

Comparação de dois empreendimentos da Icosaedro Construções:

1- Residencial Vesúvio → sem o sistema de reaproveitamento da água da chuva

2- Residencial Chillan → com o sistema de reaproveitamento da água da chuva.

Início da implantação:  setembro de 2004

Comparação realizada de acordo com a análise das contas de água dos dois condomínios (de janeiro a maio de  2007 – período de pouca chuva)

Res. Vesúvio

Área total – 1077m²

14 Apartamentos de 1 dormitório

1 Sala comercial

Jan-mai/2007 – R$ 2873,53

Res. Chillán

Área total – 1365m²

25 Apartamentos de 1 dormitório

1 Sala comercial

Jan-mai/2007 – R$ 4205,10

 

Economia de 12% para o resto da vida, com perspectiva de aumentar mais ainda de acordo com a quantidade de chuva!!

 

Uma das heranças culturais dos brasileiros é a desvalorização dos recursos naturais que, por serem abundantes, são muitas vezes considerados infinitos.

 

VAMOS FAZER A NOSSA PARTE, VALORIZAR A NOSSA ÁGUA!!!

 

Obrigado!

Anencir Filho

Arquiteto e Urbanista

Sticky
Desenvolvido por IguanaWeb