Monthly Archives março 2018

6 vantagens de morar em apartamento

Na hora de mudar de endereço, é muito comum as pessoas terem dúvidas sobre as vantagens de morar em apartamento ou casa. Independentemente se sua opção for comprar ou alugar, definir o tipo de imóvel que você deseja é parte fundamental da escolha da nova residência. E essa é uma decisão que envolve muitas questões como a segurança da sua família, espaço, opções de lazer, e tudo o mais que envolve o seu cotidiano.

É importante levar em consideração todos os aspectos que impactarão diretamente no dia a dia da sua família. As diferenças entre morar em casa ou apartamento são grandes, e morar em apartamento pode te garantir alguns benefícios. Confira algumas das principais vantagens que destacamos aqui:

Segurança

Uma das vantagens de morar em apartamento é a segurança. É claro que isso também vai depender do condomínio e da sua localização, por exemplo. Muitos prédios contam com portaria 24h, mas mesmo aqueles que não possuem o serviço costumam oferecer monitoramento de câmeras, entrada por cartão magnético ou digital dos moradores, portas e portões eletrônicos reforçados, além de cercas e muros altos.

Além disso, a vizinhança em apartamentos é muito mais próxima, e os vizinhos têm o hábito de cooperarem naturalmente. São várias pessoas prestando atenção a movimentos estranhos nas redondezas, atentos aos barulhos, e, se mesmo assim ocorrer uma situação de perigo, sempre terão pessoas próximas para te ajudar.

Isso tudo sem contar com o síndico, que tem como função, entre outras coisas, pensar em todos os detalhes relacionados à segurança dos moradores.

Lazer

Esse é outro aspecto que também pode variar em cada condomínio, contudo, grande parte dos prédios conta com algum tipo de área de lazer. No Brasil, a mais comum é a churrasqueira, onde você pode receber seus convidados para um momento de descontração. É bastante comum também que os condomínios contem com piscina, salão de festas, jardins, salas de reunião, playground, e uma grande área de convivência — o que resulta em espaço de lazer bem maior do que você poderia ter uma casa.

E uma das maiores vantagens de morar em apartamento, nesse caso, é que você tem acesso a todo esse lazer sem precisar se preocupar com a manutenção. Piscina, quintais e jardins demandam investimento, limpeza e cuidados, mas não no caso de quem mora em prédio, onde isso tudo fica por conta do condomínio.

Regras de convivência

Em qualquer lugar, desentendimentos entre vizinhos não são incomuns. Muitas vezes os hábitos das pessoas podem incomodar alguém — um bom exemplo é o barulho, que algumas pessoas extrapolam os limites toleráveis e acabam por atrapalhar a vizinhança.

Enquanto em uma casa essa briga precisaria envolver as autoridades e até resultar em uma discussão judicial, em um condomínio existem regras próprias, o que solucionaria a situação por meio de uma advertência formal ao vizinho barulhento.

Por esses e outros casos, um ponto muito positivo de se morar em apartamento são as normas internas, que tornam muito mais simples a convivência entre vizinhos e deixam o trabalho de manutenção das regras para o próprio condomínio e o síndico.

Amizades

Outro aspecto bastante positivo de se morar em apartamento é a possibilidade de relacionamento mais próximo com os vizinhos. A chance de fazer amizades aumenta e torna tudo mais fácil, inclusive para as crianças — hoje em dia, mesmo em cidades menores é perigoso para as crianças brincar na rua.

Nos prédios, elas podem conviver com outras crianças no próprio condomínio, ou mesmo brincar sozinhas ao ar livre — o que torna as coisas mais simples para os pais, que não precisam levar e buscar seus filhos na casa dos amigos, por exemplo.

E por falar em transporte, há ainda outro ponto favorável: em um prédio, os pais podem dividir as caronas para escola, futebol ou cursinhos, também facilitando o cotidiano.

Custo  

Já abordamos esse aspecto em algumas passagens do texto, mas uma grande vantagem de se morar em apartamento são as economias que são possíveis graças a utilização dos serviços do próprio condomínio. Se membros da família, por exemplo, utilizam a academia do prédio, a economia já pode ser de mais de 200 reais.

Os gastos com segurança também diminuem, uma vez que mudar para uma casa demanda a instalação de câmeras, portões eletrônicos, alarme, cerca elétrica e outros equipamentos, além de que, em algumas localidades, é necessário o pagamento de uma guarda de rua particular.

Economizar com a limpeza das áreas externas e manutenção da piscina também é uma grande vantagem. Além disso, gastos como gás e água já costumam estar incluídos nas parcelas do condomínio. Por isso, antes de dizer que essa taxa é uma despesa a mais, é importante considerar quais gastos e serviços já estão incluídos nessa mensalidade.

Os empreendimentos da Icosaedro tem o foco na sustentabilidade e na economia do comprador. Hidrômetros individuais, por exemplo, ajudam na distribuição justa na conta da água e ajuda o usuário a reduzir até 40% desse gasto.

Limpeza

Um grande aspecto negativo de se morar em uma casa é a dificuldade de manutenção — nesse tipo de imóvel tudo fica por conta do morador, desde a limpeza da calçada até dos cômodos internos. Parece que não, mas lavar o portão, a garagem, cuidar da piscina, limpar a churrasqueira e o quintal, manter o jardim e colocar o lixo na rua é bastante trabalho, principalmente se tem de ser conciliado com a rotina do trabalho.

Por isso, se você é responsável por limpar a sua casa, morar em um apartamento te trará muitas vantagens — e se você paga alguém para realizar essa tarefa, considere que seu funcionário terá mais tempo para se dedicar à limpeza interna e ao cuidado com seus filhos, por exemplo.

 

Sticky

Hidrômetros individuais: Economia nos gastos do condomínio

A conta de água tem dado muita briga nas reuniões de condomínio. A instalação de medidores individuais garante a diminuição do desperdício. A instalação dos medidores tem um efeito imediato nas contas do condomínio: o valor do condomínio cai e a inadimplência também.

A instalação de hidrômetros individuais em condomínios residenciais é solução que reduz a quantidade de água usada pelos moradores. A economia, levando em consideração o volume consumido, varia entre 25% e 47%. Financeiramente, em alguns casos, a diminuição dos valores na conta chega a 50%.

Mesmo com os números positivos, dos cerca de 38 mil condomínios existentes na capital paulista, 85% não contam com hidrômetros individuais nem estão preparados para receber o equipamento. Mas com a crise hídrica que atinge a região sudeste do Brasil, teve início uma mudança cultural da sociedade, que passou a perceber a água como um bem limitado. Mesmo com o esforço de parte da população, não foram todos que reduziram o consumo, e a maioria que manteve ou aumentou a média são exatamente os edifícios residenciais.

Em 2016, o presidente em exercício, Michel Temer, sancionou a lei que obriga novos condomínios a terem medição individual de água. Além de incentivar economia no consumo, o objetivo é que os condôminos pagassem um valor mais justo na taxa de água, pois o hidrômetro permite discriminar o consumo de cada apartamento, dividindo só o consumo de áreas comuns.

A sanção da Lei 13.312 alterou a Lei 11.445, de 2007, que estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico. “As novas edificações condominiais adotarão padrões de sustentabilidade ambiental que incluam, entre outros procedimentos, a medição individualizada do consumo hídrico por unidade imobiliária”, diz o texto. A lei só entra em vigor em 2021 e não atinge condomínios construídos antes dela.

A medição individual auxilia o morador a ter consciência do seu perfil de consumo. Além da economia no consumo de água, essa instalação valoriza o imóvel em uma futura venda.

A Icosaedro é pioneira na implantação do sistema em Santa Maria. Você já conhece nossos empreendimentos?

Conheça mais sobre o ITroian e o Tiradentes:

Sticky
Desenvolvido por IguanaWeb